“O arco-íris na linha de tiro!”-Por Mário Machado Júnior

 

 FALANDO SÉRIO 96

E estará o arco nas nuvens, e eu o verei, para me lembrar da aliança eterna entre Deus e toda a alma vivente de toda a carne, que está sobre a terra. Gênesis 9.16

Quando Noé deixou a arca com sua família um arco-íris serviu de aliança entre o homem e Deus. Milhares de anos depois este símbolo que representa hoje também a diversidade está na alça de mira, está na linha de tiro.

Como eu disse em uma de minhas colunas passadas: Eu sou homem, hetero, sem crise de consciência, sem preconceitos pois vejo no outro o ser humano, nunca, jamais o gênero, alias o gênero é o que menos me importa é o que menos me interessa, pois me interesso sobremaneira pelo ser humano, este é o gênero mais importante da humanidade e, curiosamente, a humanidade esqueceu-se disto, esquece-se, diariamente de SER humano.

 Não tenho absolutamente nada contra quem pensem diferentemente de mim, pelo contrário, a diversidade me ensinou a respeitar o outro, seja lá que outro for e devemos a todos os seres humanos que nos rodeiam e nos cercam.

Ao ver, ouvir e ler sobre o massacre ocorrido em Orlando-Flórida-EUA, onde cerca de 50 pessoas (isso mesmo, pessoas) morreram por força de um ódio incontrolável de uma besta-fera que também faz parte do gênero humanidade, descubro que esta mesma humanidade esta cada vez mais pobre, cada vez mais burra, cada vez mais inconsequente. Nenhuma morte é justificável!

Somos seres altamente ilimitados, não conhecemos o fundo de nós mesmos e, ao invés de buscarmos esta profundidade nos damos ao luxo de vivermos no raso de nossas bestialidades. Não admitimos que o outro pode ser diferente.

Sempre achei curioso o uso do arco-íris como bandeira LGBT ate que um dia, acho eu, entendi o seu significado, as suas cores diversificadas representam justamente a diversificação. Não tem nada de frescura, é um verdadeiro estandarte, mas um estandarte da agonia (com todo respeito a Heloneida Studart). Um estandarte que agoniza ante a incompreensão e o preconceito e a sua permanente luta.

O crime em Orlando foi planejado, principalmente no coração do atirador, mesmo que as teorias de conspiração digam não, foi planejado. O ódio falou mais alto, o ambiente de caça perfeito, todos os alvos reunidos em um só ambiente e o gatilho foi puxado e os tiros disparados em todas as direções e acertaram, acertaram 50 seres humanos.

Quem me garante que não tem heteros no meio das vitimas?

QUAL O PIOR CRIME, SERMOS QUEM NÓS SOMOS DE VERDADE OU SERMOS QUEM A SOCIEDADE QUER QUE DEVAMOS SER?

cartao-mario

Notícias Relacionadas