SINDSEMB e SINPROFE publicam Nota de Repúdio a matéria que desqualifica servidores municipais

Os sindicatos Sindsemb e Sinprofe encaminharam dia 14, a Editoria do Jornal e Site Novoeste uma Nota de Repúdio, após a publicação da matéria assinada pelo editor chefe Tenório de Souza, que desqualifica e aponta como derrotados, retrógrados e articuladores, a categoria de servidores municipais e dirigentes sindicais.
Segue a Nota a ser publicada.
NOTA DE REPÚDIO
O Sindicato de Servidores Municipais de Barreiras- Sindsemb e o Sindicato dos Professores, Professoras e Especialista em Educação do Município de Barreiras- Sinprofe vêm demonstrar publicamente seu repúdio contra a matéria veiculada no Site Novoeste, nesta terça-feira, 12 de setembro, no qual suposto jornalista e editor de redação do site, sr. Tenório de Souza disseminou uma matéria intitulada, “Barreiras: A farsa, a certeza da impunidade, a obstrução e o desrespeito das manifestações às autoridades civis e militares”, apresentando caráter difamatório, preconceituoso e opiniões distorcidas que fere a  categoria de servidores civis, professores de Barreiras e sindicatos que representam o interesse de todo funcionalismo público.
A produção da matéria demonstrou total desconhecimento em relação ao teor dos Projetos nº 09 e 10, e faz referência aos representantes sindicais e servidores, citando: “ Derrotados, lamentavelmente, desvirtuaram o objetivo das manifestações aderindo a artimanhas e a grupos retrógrados que usam da “política de terra arrasada” para aniquilar seus opositores”.
Não fomos a luta por questões politicas, mas sim por questões de direito adquiridos após 20 anos de luta. Sr. Tenório qualquer advogado ou leigo, que tivesse entendimento da palavra REVOGAR, entenderia que foram retirados, revogados e excluídos mais de 20 artigos, mais de 20 vantagens profissionais e que muitos ainda lutam juridicamente para ter garantia. Queremos ressaltar que a palavra REVOGAR significa:  tornar (algo) sem efeito, fazer deixar de vigorar; anular. “r. uma lei”: jur cancelar, anular os efeitos (de um ato, uma lei etc.), proceder à revogação de.
 Vale salientar sr. Tenório, que estranhamos seu posicionamento emitido quase 20 dias após a aprovação dos projetos. Nossa luta pela retirada dos projetos, que afetam SIM, mais de 3 mil servidores e mais ainda os próximos, que tiverem a oportunidade de concorrer por concurso público, que estarão SIM, sem nenhum beneficio e valorização profissional. Nunca mencionamos que direitos seriam retirados da folha, mas sim, que eles deixariam de existir, como foi extinto o quinquênio, licença premio, progressão vertical e outros.
Na sua matéria quando diz que “o presidente foi obrigado a tomar uma atitude mais severa solicitando apoio à Polícia Militar para que a votação acontecesse sem constrangimento e risco para a integridade física do público presente e dos parlamentares”, queremos pontuar que, o povo, os servidores, os pais e mães de família que foram vedados, proibidos e coagidos no prédio da Câmara de Vereadores, e fotos, depoimentos e vídeos provam isso. Centenas de policiais militares e guarda civil municipal fizeram a segurança pessoal de vereadores e bloquearam a entrada da “casa do povo”, que infelizmente não recebe o povo.
Frente a esse lamentável episódio, nós que compomos os Sindicatos Sindsemb e Sinprofe, interpretamos que tal matéria teve foco notadamente tendencioso e desrespeitoso, com visão de descredibilizar os servidores civis e do magistério, no que tange ao respeito, democracia, a opinião pública e quanto ao interesse da sociedade para qual todos esses profissionais atendem diariamente em seus postos de trabalho.
Denotamos como falta de profissionalismo associada à prática sensacionalista a veiculação dessa matéria, a qual vale destacar, “causa da enorme algazarra que causaram no plenário e da invasão do espaço privativo dos parlamentares a encenações fajutas e atos de obstrução e desrespeito as autoridades policiais e políticas locais, que tem a obrigação moral e ética de tomarem medidas cabíveis para que os seus atores sejam punidos para que a certeza de impunidade e anarquia não prevaleça de forma que os excessos não se repitam”.  Lembramos ao editor Tenório que os servidores de Barreiras vêm ao longo de décadas lutando por melhorias e reconhecimento em favor do serviço público, de forma legal e honrosa, e em nenhum momento levantaram a bandeira da violência, baderna ou qualquer outra medida pontuada fora de seu direito de lutar pela permanência e avanço de sua carreira profissional.
Acreditamos que se o senhor Tenório, honrasse os preceitos éticos da profissão de jornalista e buscado conhecer quem somos enquanto dirigentes sindicais, não passaria a imagem de opróbrio. Enxergamos que, ao invés do “nobre profissional” desperdiçar seu tempo desonrando uma categoria, deveria se solidarizar com os servidores civis, servidores do legislativo e professores, que se encontram passando penúrias, e a falta de respeito do governo municipal com os salários defasados, condições de trabalho precárias, e tantos outros problemas que o “nobre profissional” poderia denunciar contribuindo para que houvesse uma solução.
 Assim sendo, fica aqui o nosso repúdio ao site Novoeste, nos solidarizando aos nossos servidores públicos, que fazem à diferença e que merecem todo respeito e gratidão pela dedicação e atendimento à população de Barreiras.