Luciano Huck declara seu destino na eleição presidencial de 2018,

Um dos nomes mais citados como candidato com chances em 2018, o apresentador de TV Luciano Huck desembarcou da disputa nesta segunda-feira, em artigo publicado no jornal Folha de S. Paulo.

“Como Ulisses em ‘A Odisseia’, nos últimos meses estive amarrado ao mastro, tentando escapar da sedução das sereias, cantando a pulmões plenos e por todos os lados, inclusive dentro de mim”, diz o artigo.
Huck afirma ainda que a mulher, os filhos, seus familiares e os amigos mais próximos são unânimes em afirmar que “é fundamental o movimento de sair da proteção e do conforto das selfies no Instagram para somar forças na necessária renovação política brasileira. Mas daí a postular a candidatura a presidente da República há uma distância maior que os oceanos na jornada de Ulisses”.

“Com a mesma certeza de que neste momento não vou pleitear espaço nesta eleição para a Presidência da República, quero registrar que vou continuar, modesta e firmemente, tentando contribuir de maneira ativa para melhorar o país”, diz o apresentador, que finaliza dizendo “contem comigo. Mas não como candidato a presidente”.

Em uma das últimas pesquisas Luciano Huck , aparecia com os excelentes 5% das intenções de votos em uma pesquisa espontânea, o que o Site Mais Oeste destacou em sua publicação agora o apresentador que recebeu diversos ataques,

Montagens comparando ele a ex-presidente Dilma,

 

Selfies com vários políticos uma delas com o ex-presidente Lula, essas e outras mesmo antes de dizer se era ou não candidato, pelo artigo ele desiste mas pelo jeito não definitivamente, deixou brecha para outras eleições.

O apresentador, que não é filiado a nenhum partido, teria tomado a decisão na quinta-feira, dia em que o jornal O Estado de S. Paulo publicou manchete com uma pesquisa mostrando que a aprovação do apresentador havia crescido em dois meses e já batia 60%.

Em encontros com acadêmicos, economistas e políticos, Huck vinha afirmando que seu maior projeto era uma grande renovação do Congresso nacional, com até 100 representantes de uma nova geração, e uma atuação suprapartidária. Agora quem quem será o novo na disputa eleitoral de 2018 rumo a Brasília ?