Bandidos confessam assassinato do Taxista Seninha

Os dois jovens de 20 anos presos por suspeita de envolvimento na morte do taxista José Airton da Silva, conhecido como “Seninha”, 37 anos, em Barreiras, no oeste da Bahia, foram descobertos após começarem a vender objetos roubados da vítima. A informação foi divulgada na segunda-feira, 15, pela Polícia Civil, que trabalha com a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte).

“No decorrer das investigações, nós obtivemos a informação de que eles tinham subtraído os objetos da vítima, celular, os objetos do veículo, tipo pneu estepe, aparelho de som, módulo e outros objetos componentes do veículo. Então, obtivemos informações de que eles estariam vendendo esses produtos. Então, através de investigações, chegamos aos vendedores dos objetos e a partir de então chegamos também aos autores do homicídio, que se tratava na verdade de latrocínio “, disse a delegada Marineide Pires.

Os suspeitos presos, Gleison Gomes Ferreira e Davi Salomão Almeida, ambos de 20 anos, fizeram exames de corpo de delito no Distrito Integrado de Segurança Pública (Disep) e permanecem presos no Complexto Policial de Barreiras. Um jovem identificado como Lucas de Souza de Jesus, de 19 anos, terceiro suspeito de envolvimento na morte do taxista, permanece sendo procurado.

 

Os dois presos confessaram o crime, segundo a polícia. “Eles disseram que saíram para fazer um assalto, independente de vítima. Escolheram de forma aleatória. Então, identificando o taxista, eles partiram para a execução desse delito. Não tinha uma motivação específica. Eles dizem que ficaram nervosos e começaram a martelar”, afirmou o delegado Yves Correia.

 

Caso:

José Airton foi encontrado morto em um terreno na zona rural de Barreiras no dia 18 de dezembro de 2017. De acordo com motoristas que trabalhavam no mesmo ponto que ele, o condutor foi visto pela última vez em frente à Feira Livre de Barreiras, quando três homens pediram uma corrida, no dia 17.

Duas horas depois de sair do local, os colegas passaram a procurá-lo, pois ele não atendia as ligações. A polícia suspeita que Seninha tenha sido vítima de latrocínio.

O sepultamento da vítima ocorreu no dia 19 de dezembro, na cidade de Angical, a cerca de 53km de Barreiras.

Antes do enterro, ainda na cidade de Barreiras, um protesto reuniu cerca de 80 taxistas e percorreu as ruas da cidade. Os motoristas fizeram uma carreata para pedir mais segurança e solução para o assassinato.

Fonte: G1

Notícias Relacionadas