Alea jacta est! Por Mário Machado

Alea jacta est expressão latina que quer dizer, a sorte está lançada, e está mesmo.

Desde que Lula foi condenado pelo Juiz Sergio Moro, a 9,5 anos de prisão, pelo triplex do Guarujá, a imprensa não fala de outra coisa, senão o recurso dele, como será o resultado, o que pode advir deste julgamento, se será condenado, se será absolvido, se terá aumentada a pena, enfim, não se fala de outra coisa. Parou-se o Brasil e este é o assunto mais comentado, pesquisado, discutido, opinado.

A sorte está lançada. Os dados estão rolando. Ninguém sabe como vão parar.

O país é maior que esta discussão. As carências e necessidades são muito maiores. Tem coisa muito mais importante para ser vista, analisada e tratada. Lá estamos nós vivendo vida de gado, de povo marcado, de povo infeliz (ao contrario da letra original).

O Brasil tem mais de 8 milhões de quilômetros quadrados, porém o endereço mais importante é o da Rua Otávio Francisco Caruso da Rocha, 300 – Bairro Praia de Belas – CEP 90010-395 – Porto Alegre (RS).

O Brasil tem mais de 206 milhões de habitantes e, no entanto, o foco são 3 desembargadores, o representante do Ministério Publico Federal, um advogado e seu cliente, condenado em primeira instancia, que terá o seu recurso julgado no próximo dia 24/01.

O Sr José das Couves e D. Maria das Alfaces também têm julgamentos no mesmo prédio acima, porem ninguém se importa com eles. Alias, seus processos só serão, se serão, apreciados depois do dia 24/01. Oh mundo que vivemos. Por isso não conseguimos seguir em frente. Por isso vivemos estagnados, as prioridades estão absurdamente invertidas.

Julgar Lula é importante? Pode ser para o PT e seus manifestantes. Para mim particularmente não é. Em um grupo de Whatsapp estava uma discussão jurídica acalorada e eu só observando. Por fim postei dizendo que como nem Lula, Moro, Deltan, enfim ninguém, haviam depositado qualquer coisa na minha conta, me absteria de tecer comentários, ate porque meus sentimentos políticos e jurídicos se chocariam e vice versa.

Pode até ser que o futuro das eleições esteja atrelado a este julgamento, pode ser. Prefiro acreditar que o nosso povo seja capaz de separar o joio do trigo, seja consciente o suficiente para votar de forma coerente. Quero crer!

Vamos fechar questão dizendo que a realidade brasileira é muito maior e temos que nos focar nela. Afinal, alea jacta est!

Notícias Relacionadas