Novidades sobre o caso da mulher que teria sido enterrada viva, Polícia fala oficialmente


 

A polícia civil de Riachão das neves se pronunciou oficialmente hoje ( 15 ) sobre o caso envolvendo a dona de casa Rosângela Almeida  Santos, que teria sido enterrada viva naquela cidade no último dia 09 de fevereiro. O caso que teve uma enorme repercussão quando familiares resolveram desenterrar Rosângela por suspeitas de que ela estaria viva dentro do caixão, depois que familiares disseram ter sonhado com ela viva, o caso bizarro que chamou a atenção da cidade de Riachão das Neves como pode ser conferida na matéria produzida pelo Site Mais Oeste e publicada no último sábado   ( Leia aqui ).

Investigações da polícia civil de Riachão batem com a matéria do Site Mais Oeste

O Delegado titular de Riachão das Neves Arnaldo Monte até agora conseguiu fazer algumas apurações e colheu alguns depoimentos importantes que podem desmistificar a história que a Dona de casa Rosângela Almeida teria sido enterrada com vida e sofria de catalepsia,  doença rara em que os membros se tornam rígidos, mas não há contrações, embora os músculos se apresentem mais ou menos rijos. A pessoa fica o tempo todo consciente e quem passa por ela pode ficar horas nesta situação, as investigações preliminares batem com as apurações e os depoimentos colhidos no último sábado. O Site Mais Oeste conseguiu de primeira mão o que a polícia conseguiu apurar até agora através das investigações coordenadas pelo Delegado Arnaldo Monte.

Os passos das investigações preliminares da Polícia de Riachão das Neves

ROSANGELA ALMEIDA DOS SANTOS, solteira, natural de Riachão das Neves, data de nascimento em 26/01/1981.
FILIAÇÃO: João Batista Oliveira dos Santos e Germana Alves de Almeida
Data do falecimento e hora: 28/01/2018 às 17:50h
Causa mortis: choque céptico
Local da Morte: Hospital do Oeste em Barreiras/BA

Foi enterrada no dia 29/01 por volta das 8h no cemitério da cidade de Riachão das Neves/BA.
O fato da abertura da sepultura ocorreu no dia 09/02 por volta das 18h e quem desenterrou foi a mãe e um primo.
O responsável da funerária da cidade que “preparou a morta” esteve presente quando da abertura da sepultura e observou após a abertura do caixão que a morta estava exatamente do mesmo jeito que foi enterrada.

No depoimento da mãe colhido em 15/02/2018 ela informou, dentre outras que não viu nenhuma diferença na posição do corpo da filha quando foi enterrada e a do momento que foi desenterrada. Com poucas ou quase nenhuma diferença na posição das mãos da sua filha. Confirmou que pagou R$ 400,00 (quatrocentos reais) para aplicação de FORMOL (daí explicar o porquê do corpo não se encontrava em estado de putrefação).
A Mãe ainda relatou que abriu “a carneira” (gaveta da sepultura) com um primo o qual foi intimidado para depor .
Também na tarde de hoje foi realizada a perícia sobre a violação da sepultura e aguardamos o laudo pericial que deve confirmar o fato da violação da sepultura. As investigações continuam e somente após a oitiva de mais pessoas envolvidas nesse episódio é que poderemos chegar a uma conclusão definitiva.

O delegado Arnaldo Monte ainda  disse; ‘ “Vou solicitar a Secretaria Municipal de Saúde um laudo e um acompanhamento psicológico sobre o “Estado Psicológico” dessa mãe que está sofrendo muito com tudo isso.

 

Notícias Relacionadas