Agricultores baianos e Sematur capacitam técnicos e profissionais para recuperar nascentes em Barreiras

Nesta segunda-feira (2), os produtores baianos, por meio da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) e Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Turismo (Sematur), iniciaram o curso para recuperar nascentes em Barreiras.  Ainda como ação que abrange a programação da Semana da Água, a capacitação será realizada até quarta-feira (4) e vai focar na recuperação de uma nascente da zona rural de Barreiras, na localidade de Alto da Bela Vista, na BR-242, na saída para Salvador.

Durante a abertura do curso, o secretário de meio ambiente de Barreiras, Demósthenes Júnior, explicou que o trabalho desta parceria já começou o mapeamento e diagnóstico de 50 nascentes na zona rural do município. “A partir do treinamento, entramos em uma nova fase de capacitar os multiplicadores e quem vai estar diretamente ligado nas intervenções para, na prática, proteger e recuperar as nascentes”, afirma ele, que acredita na parceria com o setor produtivo para tirar as ações de preservação ambiental do papel.

Ao participar do curso, o estudante de engenharia sanitária ambiental da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), Jefferson Duarte, acredita que vai aprofundar os conhecimentos dessa área de atuação. “É um curso com viés mais prático e que vai ajudar a garantir a manutenção das águas dos rios da região”, afirma ele, que é estagiário na Sematur. Para a técnica Carmem Jesus da Silva, da Bahiater, órgão de assistência ao pequeno produtor rural, esta é uma oportunidade de levar mais este conhecimento da área ambiental para os pequenos agricultores.

O diretor-executivo da Abapa, Lidervan Morais, ressaltou o bem sucedido trabalho de recuperação de nascentes iniciado no oeste da Bahia pelos produtores rurais. “Em São Desidério, com a parceria do município, no primeiro mês de trabalho, já foram recuperadas e protegidas seis nascentes. E estamos em negociação para iniciar o trabalho em outros municípios da região, a exemplo de Formosa do Rio Preto, Riachão das Neves e Wanderley”.

Além do caráter de educação ambiental junto à comunidade, a diretora de meio ambiente da Aiba, Alessandra Chaves, reforçou a importância do projeto para quem mora nas localidades onde as nascentes são recuperadas. “A comunidade envolvida passa a ser defensora da nascente recuperada. Desta maneira, a adoção do processo de recuperação destas áreas irá contribuir de maneira significativa com a perenização das nascentes através da remoção de fatores de degradação o que trará garantia da manutenção da água, que é essencial para vida, contudo sem prejudicar a nascente”, explica.

Depois do diagnóstico da área da nascente a ser recuperada, os integrantes do curso vão utilizar a técnica “Caxambu” que protege o afloramento do lençol por meio uma cobertura construída naturalmente com pedra e argila, evitando o acesso do afloramento do pisoteio do gado e do assoreamento com terra carregada pelas chuvas. A previsão é que, depois do curso, sejam recuperadas de 25 a 50 nascentes dentro do projeto de parceria entre agricultores e município de Barreiras.

Assessoria de Imprensa Abapa 03/04/2018

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *