Não é vergonha ser vira-lata!

Desde maio que não escrevo ate movido por um espirito em que a decepção com o quadro geral não me trazia inspiração.

Este final de semana foi diferente, até pelos imbróglios produzidos de sexta para cá.

Começando por sexta tenho a dizer só o seguinte: o Brasil perdeu. E daí? Não vai ser uma derrota no futebol que vai acabar comigo. Bola pra frente Brasil!. A vitória ou a derrota em nada acresceram a minha conta, pelo contrário, diminuiu, pois o país mais uma vez parou, para nada. Podíamos ate ter passado pela Bélgica, mas não passamos. Sigamos em frente e pronto.

Porque o Brasil não ganhou, querer nos impor o sentimento de vira-latas, o que não é vergonha, pelo contrário, são os melhores cães do mundo, portanto não há vergonha em ser um. Agora querer dar toque pejorativo a esta condição, ai não! Sejamos os melhores vira-latas do mundo.

O resultado final desta copa é reflexo do excesso de estrelismo de uma seleção estrangeira, pois só 3 ou 4 jogam no Brasil. Palhaçada. Por fim uma seleção formada por estrelinhas que apaixonadas pela própria sombra ou pela própria imagem refletida n’agua.

Outro que deve ser apaixonado pela própria sombra ou pela própria imagem refletida n’agua é o Desembargador que causou esta celeuma no Brasil inteiro provocando tamanho rebuliço que teve canal pago que passou o dia inteiro repetindo e repetindo a mesma lengalenga: SOLTA-PRENDE-SOLTA-PRENDE. Mantiveram preso.

Vejam bem habeas-corpus é uma medida jurídica para garantir o direito de ir e vir de uma pessoa que esteja sendo impedida de tal atitude, cuja liberdade uma autoridade esteja flagrantemente cerceando. No caso em questão não havia base jurídica para o habeas corpus, pois ao contrario do que foi dito a chamada autoridade coatora (aquela que impede o ir e vir de alguém) era ninguém mais ninguém menos que a 8ª Turma que foi quem determinou a prisão do ex-presidente. Contra ela poderia ser intentado eventualmente um HC no STJ ou STF, jamais para um juiz de plantão e com tantas vinculações. Coincidência?

O que se viu neste domingo vai entrar para os anais do judiciário, primeiro como um absurdo, depois como piada.

Ser vira-lata não é ruim. Ser vira-lata não é motivo de vergonha. Ser vira-lata é tudo de bom.

 

Chegará o dia em que todo homem conhecerá o íntimo dos animais. Nesse dia, um crime contra um animal será considerado um crime contra a própria humanidade.

 

Notícias Relacionadas