ANEEL inicia campanha de prevenção a incêndios próximos a linhas de transmissão

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) iniciou neste mês de outubro uma campanha de comunicação para conscientização da população acerca dos riscos de se provocar queimadas irregulares em áreas próximas à rede de transmissão de energia.

Aprovada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em atenção ao período de restrição anterior às eleições, a campanha visa a motivar o senso de responsabilidade e de urgência quanto ao assunto, especialmente nos moradores de áreas com maior recorrência de desligamentos forçados da transmissão de energia provocados por incêndios. Os materiais da campanha estão disponíveis em: www.aneel.gov.br/campanha-queimadas.

De maio a novembro, incêndios dessa natureza são a principal causa de desligamentos não programados na transmissão de energia elétrica no Brasil. Entre 01/05/2017 a 31/12/2017, foram registrados 2.434 desligamentos forçados, sendo 586 relacionados a queimadas, e 203 causaram interrupção no fornecimento de energia elétrica.

A Superintendência de Fiscalização dos Serviços de Eletricidade (SFE/ANEEL), responsável pela fiscalização dos 130.000 km de linhas de transmissão no país, afirma que a maior incidência de queimadas irregulares é nas regiões Nordeste e Sudeste/Centro-Oeste, em áreas da Zona da Mata com plantações da cana-de-açúcar e em áreas agrícolas de cerrado.

A campanha terá como foco a divulgação em nove estados, que foram os mais afetados por desligamentos forçados de linhas de transmissão em decorrência de incêndios provocados por queimadas em 2014 e 2015: Minas Gerais, São Paulo, Goiás, Tocantins, Maranhão, Piauí, Ceará, Pernambuco e Alagoas.

As queimadas irregulares próximas a linhas de transmissão podem provocar dois tipos de desligamentos: os que vão de pequenos a grandes tempos de interrupção e os chamados “piscas”. Para as indústrias, os desligamentos de curta duração, mesmo que de segundos, prejudicam a linha de produção.

A população é atingida pelo risco de curtos-circuitos em linhas de transmissão e de distribuição de energia elétrica, que afeta hospitais, escolas e trânsito com o congestionamento causado pelo desligamento de semáforos. Os incêndios prejudicam também a segurança de motoristas, que têm a visibilidade das pistas prejudicada devido à fumaça.

Realizar queimadas próximas a instalações do setor elétrico é crime! O Decreto 2.661, de julho de 1998, proíbe atear fogo em uma faixa de 15 metros dos limites de segurança das linhas de transmissão de energia e de 100 metros ao redor das subestações. O calor gerado pelas queimadas, além de provocar curto-circuito, resultando em desligamentos, pode danificar as estruturas metálicas e os cabos condutores, causando interrupções no fornecimento de energia e elevado custo de recomposição, que é repassado para a tarifa.

Cuidados a serem tomados na prevenção de queimadas

  • Não jogue pontas de cigarros ou fósforos à beira de estradas ou perto de campos e florestas.
  • Se você possui uma propriedade, corte regularmente o mato. Não queime o campo para eliminação de lixo ou limpeza para a plantação.
  • Não acenda velas ou fogueiras perto da vegetação.
  • Não solte balões.
  • E, se vir algum raio perto de uma plantação ou floresta, ou algum foco de incêndio, avise imediatamente os bombeiros.

Notícias Relacionadas

Aliados de Temer questionam Fachin

Postado por - 22 de maio de 2017 0
Compartilhar no WhatsApp Em conversa com integrantes do Judiciário, interlocutores do governo passaram a questionar a competência do ministro Luiz…