Comandante Rangel busca solução para licenças caçadas pela Agência Nacional de Mineração

Preocupado com a situação dos garimpeiros da Bahia, o Comandante Rangel foi até a Agência Nacional de Mineração (ANM), em Brasília, para falar com o diretor geral do órgão, Victor Hugo Froner Bicca, sobre às licenças de minerarias canceladas pela agência por conta da criação do parque Boqueirão da Onça com 854.000 ha.

O parque além de prejudicar a mineração de uma área rica em pedras preciosas, que é uma das maiores fontes renda dos municípios de Sento Sé, Campo Formoso, Imburanas e Sobradinho, impede a ampliação do parque eólico que acabara de ser implantado nesta região.

O Comandante falou também da importância da atividade garimpeira no Brasil como um dos maiores segmento na criação de empregos. As pedras preciosas saem do nosso país em forma de contrabando, porque esta atividade não está devidamente regulamentada e a atividade é perseguida pelos órgãos ambientais que insiste em descriminar o garimpo enquanto outros países estão fomentando esta atividade.

Bicca se comprometeu em colocar uma equipe da recém criada Agência para analisar os problemas da região. Na reunião, estavam presente também o Deputado Vicentinho Júnior e o diretor chefe do gabinete da agência Kiomar Oguino.

Notícias Relacionadas