Curso de Qualificação Ambiental é lançado em Luís Eduardo

Na manhã de quarta-feira (12), foi lançado o Curso de Qualificação Ambiental, ofertado pela Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (AIBA) e pela Associação Baiana dos Produtores de Algodão (ABAPA), em parceria com o Parque Vida Cerrado.

O objetivo do curso é estimular que os municípios do Oeste da Bahia desenvolvam ações concretas de educação ambiental a curto, médio e longo prazo em prol da conservação dos recursos naturais da região, em especial, a água, vital para a sobrevivência humana e para o crescimento econômico da região.

Para a secretária de Meio Ambiente e Economia Solidária, Izabel de Paula, os municípios avançaram um importante passo nas ações de educação ambiental associada à recuperação e conservação das nascentes e o apoio do Parque Vida Cerrado será de fundamental importância para esse processo.

“A expectativa é que coletivamente possamos trabalhar formando a rede de educação ambiental, de forma contínua e técnica, contribuindo para o equilíbrio ecológico, social e ambiental da nossa região Oeste, e em especial, a proteção das nascentes e a preservação do nosso Rio São Francisco”, comentou Izabel.

Além do município de Luís Eduardo Magalhães, também participaram do evento representantes das cidades de São Desidério, Barreiras, Mansidão, Correntina, Wanderley e Formosa do Rio Preto, que compõem o projeto de preservação e recuperação de nascentes da região Oeste da Bahia, idealizado pela AIBA.

Sobre o Parque Vida Cerrado – Inaugurado em 11 de setembro de 2006 pela Galvani e o Instituto Lina Galvani, o Parque Vida Cerrado está localizado no município de Barreiras e é o primeiro e único centro de conservação e educação ambiental do Cerrado Baiano. Com 20 hectares de extensão, o parque atua por meio de ações educativas e continuadas, colaborando para o desenvolvimento socioambiental da região do Oeste Baiano. Em 12 anos de atuação, o Parque Vida Cerrado já recebeu mais de 25 mil visitantes.

O Parque tem como visão consolidar-se como referência em conservação da biodiversidade, pesquisa e educação socioambiental do Cerrado do Matopiba. Sua missão é contribuir com a convivência sustentável da sociedade com o Cerrado.

Atualmente, o Criadouro Científico de Fauna Silvestre para Fins de Conservação do Parque Vida Cerrado possui cerca de 30 animais de 10 espécies típicas da região, sendo algumas ameaçadas de extinção.