Anestesistas do Planserv suspendem atendimento e Secom diz que hospitais devem oferecer o serviço

Médicos anestesistas que atendem pelo plano de saúde dos servidores públicos da Bahia, o Planserv, suspenderam as atividades em Salvador. A medida foi tomada porque, segundo o Conselho Regional de Medicina da Bahia (Cremeb), os valores pagos pelo plano, aos médicos, não são reajustados há 10 anos.

Com isso, pacientes que utilizam o plano receberam avisos de hospitais com o cancelamento de cirurgias. Uma dessas pessoas é a funcionária pública Selma Cardoso, que está afastada do trabalho há quatro meses, por conta de um problema na coluna.

Por meio de nota, o governo do estado, responsável pela administração do Planserv, informou que os serviços de anestesia podem ser prestados diretamente pelos hospitais, pois já estavam previsto desde quando a rede credenciada estabeleceu relação contratual com o plano.

Confira a nota na íntegra:

A Secretaria de Comunicação (Secom) esclarece que os hospitais credenciados à rede Planserv estão aptos a prestar todos os serviços médicos aos beneficiários. Essas unidades, conforme determina contrato, devem oferecer os serviços de anestesia sem qualquer tipo de cobrança aos beneficiários Planserv.

Os serviços de anestesia podem ser prestados diretamente pelos hospitais, pois já estavam previsto desde quando a rede credenciada estabeleceu relação contratual com o plano.

A premissa do Planserv é manter a regularidade do atendimento aos beneficiários. E assegura que está adotando todas as medidas necessárias para que as cirurgias continuem sendo realizadas sem qualquer tipo de prejuízo em toda a rede de prestadores.

O Planserv salienta ainda que os beneficiários podem, a qualquer momento, entrar em contato com a sua Central de Relacionamento 24 horas, no telefone 0800 56 6066, para mais informações.

Notícias Relacionadas