Mulheres denunciam clínica por queimaduras durante bronzeamento natural com fitas

Quatro mulheres denunciaram nesta quarta-feira (13) terem sofrido queimaduras em várias partes do corpo após passarem por um serviço de bronzeamento natural, no início de março, em uma clínica de Itabuna, no sul da Bahia. Segundo as vítimas, que não quiseram ser identificadas, a dona do estabelecimento estético prometeu dar assistência médica a elas, mas desapareceu.

O caso foi registrado pelas vítimas na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) da cidade. De acordo com as vítimas, o bronzeamento foi feito a luz do sol na clínica Divas Bronze. Elas conta que usaram biquínis feito com fita e que um produto foi passado em seus corpos. Após as queimaduras, as mulheres disseram que estão com a autoestima abalada.

Uma das mulheres informou que não sabe dizer que produto foi passado no corpo delas. Ainda segundo a vítima, um dermatologista informou que elas tiveram queimaduras de primeiro e segundo grau.

“Estou toda queimada, toda marcada. Meu corpo está irreconhecível. Fui em um dermatologista e ele disse que tive queimaduras de primeiro e segundo grau”, relatou.

As mulheres informaram que, inicialmente, tentaram conversar com a esteticista que prestou o serviço, mas ela desapareceu.

“Ela não deu a assistência que a gente esperava. Ela falou que era para borrifar leite gelado, que era para passar hidratante gelado e que retornava para Itabuna quinta-feira e que iria nos procurar. El não me procurou até então. Pelo contrário, ela fechou o estabelecimento e sumiu”, afirmou outra vítima.

A reportagem não conseguiu contato com a clínica e nem com a proprietária do estabelecimento, Lorena Santana, nesta quarta-feira.

A Polícia Civil informou que pediu às vítimas que fizessem exames de corpo de delito e disse que vai investigar a legalidade do estabelecimento e dos serviços prestados.

“O perito é que vai dizer a natureza dessa lesão corporal, que pode ser leve, grave ou gravíssima, e cada uma dessas lesões tem um procedimento específico, a depender desse nível, porque elas têm penas diferentes. Vamos expedir uma ordem de missão para que os investigadores da delegacia descubram onde ela [a dona da clínica] está”, afirmou a delegada Ivete Albano.

Notícias Relacionadas