Prefeitura de LEM e sindicato dos professores se reúnem e destino da greve deve ser definido hoje

Na manhã de sábado (13), o prefeito Oziel Oliveira e representantes do Sindicato dos Professores de Luís Eduardo Magalhães (SINPROLEM) se reuniram para tratar sobre a educação em Luís Eduardo Magalhães e negociar os pontos da greve com a classe.

Na oportunidade, o gestor do executivo municipal demonstrou aos representantes do SINPROLEM que todas as escolas municipais, tanto as com sede própria quanto as alugadas, tiveram autorização de reformas no dia 29 de março, portanto, antes da greve. E que manutenções de rede elétrica para que os aparelhos de ar condicionado possam funcionar adequadamente são feitas diariamente, uma vez que as estruturas que existiam eram inadequadas.

Oziel também pontuou a contratação de 42 vigias para as unidades escolares e a construção das 10 escolas municipais nos bairros Santa Cruz, Florais Léa, Mimoso II, Cidade Universitária, Jardim das Acácias, Vereda Tropical, Jardim Paraíso, Sol do Cerrado e Vista Alegre, onde serão investidos mais de R$ 40 milhões, proporcionando maior infraestrutura, conforto e comodidade para alunos e professores e que já estarão prontas para o início do ano letivo de 2020.

O SINPROLEM apresentou novamente ao gestor municipal, a proposta de 10% de aumento salarial. Entretanto, o Ministério da Educação recomendou o aumento de 4,17% para o piso nacional da categoria este ano. Desta forma, em compromisso com a lei de responsabilidade fiscal e ao mesmo tempo em sensibilidade a categoria, o prefeito Oziel Oliveira fez a contraproposta de 4,20% de aumento salarial para o sindicato, valor este que além de estar acima do piso nacional, contempla, de forma retroativa, os meses de janeiro, fevereiro e março, demonstrando que o governo municipal se preocupa em valorizar os professores. O SINPROLEM levará a proposta para apreciação da classe em assembleia nos próximos dias.

“Sempre fiz questão de receber a todos em minha gestão. Esta semana já sentei com o sindicato dos servidores públicos (SINSERPLEM) e com uma reunião conseguimos resolver o aumento salarial dos servidores, entre outras questões levantadas pelos representantes. Com o sindicato dos professores não foi diferente. Nós já havíamos marcado outras duas reuniões com o sindicato dos professores para resolver essa greve que tanto tem prejudicado nossas crianças a adolescentes” ressaltou o prefeito.

Também participaram da reunião a secretária de Educação, Rose Sertão; o procurador Geral do Município, Teófilo Jerônimo e os vereadores Carlos Koch, Santil Conqueiro, Elton Almeida e Kelmuth Maclarem.

Notícias Relacionadas