A que horas começa o respeito ao povo brasileiro, por Mário Machado

“Chegou a hora dessa gente bronzeada mostrar seu valor” – Brasil Pandeiro, Novos Baianos

“Brasil, mostra a tua cara; Quero ver quem paga pra gente ficar assim.” – Brasil, Cazuza

Pois é leitores, como podem ver abri este texto com a letra de duas músicas conhecidíssimas e que refletem a nossa realidade.

A hora chegou? Não, já passou há muito muito! E já passou há muito mesmo, pois desde 1500 que o Brasil e o povo brasileiro esperam serem respeitados e isso não ocorre de jeito nenhum.

As pessoas foram para as ruas neste fim de semana, vestidas de verde e amarelo, empunhando suas bandeiras, seus cartazes, elevando as suas vozes em coro pedindo só uma coisa, no fim das contas, respeito. Será que é pedir demais?

Ouvi pessoas dizendo que era um movimento chapa-branca, orquestrado pelo Executivo. Ouvi pessoas dizendo que era uma manada guiada. Ouvi tanta besteira, mas tanta besteira, que parei para refletir que na verdade era um bando de brasileiros querendo só que respeitem ao país, a ele (povo), a nação e que quem deve e tem o dever de agir que aja com a máxima rapidez cumprindo o que lhe é de dever, o Congresso Nacional.

Que Bolsonaro não apoio no Congresso, contem-me outra que essa já está velha. Que ele não tem maioria, novamente, contem-me outra. Que ele vai ter dificuldade para governar, idem. E o Congresso, o que faz? O mesmo que o peixe, NADA!

Intensidade não é igual a força, pelo menos não na política. Vejo os líderes do governo falando, vociferando, querendo se impor, mas sem sucesso. Respeito você não impõe, você conquista. Esta conquista não ocorre. Poderiam usar o maior orador do mundo que os ouvidos continuariam moucos. Sem chance!

Ontem, 28/05/19, o governo com muito custo aprovou no Senado a reforma administrativa, não sem antes implorar para que não mexessem no COAF, o que já havia sido sacramentado pela Câmara de Deputados, ou seja, saiu das mãos de Moro e voltou para a pasta da Economia. Se ocorresse a mudança, a MP voltaria para a Câmara, e acabaria caducando. Menos mal, passou! O COAF ainda continua no governo e Paulo Guedes e Sergio Moro se dão bem, ainda bem.

Mas vejam o sacrifício.

Uma regra minha de vida diz que eu não transijo com os meus princípios, e não transijo mesmo. Eles são minhas regras de vida e prática. Sem negociação.

Agora pensem o seguinte: uma das coisas que mais tem ocorrido neste governo é o ato de transigir com seus princípios que foram os motes da campanha, mas entendam, governar com este Congresso, tem que ter estomago de avestruz.

O próximo capítulo da novela que ainda está em cartaz: A Previdência Malvada, vai ser viso nos próximos dias…Quem viver verá!

A que horas começa o respeito ao povo brasileiro?

Notícias Relacionadas