Justiça determina que Globo reintegre jornalista Izabella Camargo

O Tribunal Regional do Trabalho exigiu a reintegração da jornalista Izabella Camargo, dispensada após retorno de uma licença médica, para a recuperação da Síndrome de Burnout (esgotamento profissional e emocional que impede “momentaneamente” a execução das tarefas cotidianas com agilidade).

A origem da síndrome no ambiente profissional foi reconhecida pela OMS – Organização Mundial da Saúde em maio deste ano. A liminar foi entregue nesta quinta-feira(4) no departamento de recursos humanos da TV Globo, em São Paulo.

Procurado, o advogado Kiyomori Mori, do escritório Mori, Toni e Mazoca advogados, não se manifestou porque o processo segue em segredo de Justiça. A jornalista diz estar feliz com a decisão da justiça e “por perceber que as dores invisíveis e doenças ocupacionais estão sendo levadas mais a sério”.

Ela vai aguardar os próximos passos da emissora. A demissão da profissional aconteceu em novembro do ano passado, na sua volta da licença médica, recuperada da Síndrome de Burnout, mal provocado por esgotamento físico e mental.

Izabella estava há seis anos na casa. Ela acertou com a Globo após sair da Band, em 2012. Teve passagens nas mais variadas funções, de repórter à previsão do tempo, em alguns dos principais telejornais da emissora, como “SPTV”, “Bom Dia Brasil” e “Hora Um”.

Vale lembrar que a apresentadora teve uma rápida passagem pela equipe de comunicação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, a convite do ministro e astronauta Marcos Pontes.

Izabella pediu demissão em abril e justificou que a iniciativa era para se cuidar. “É para preservar minha saúde”, disse à época.

Notícias Relacionadas