El Niño, La Niña ou neutralidade? O que esperar na safra de verão

A safra está prestes a começar e os produtores rurais estão apreensivos quanto ao clima, que causou muitos prejuízos no ano passado. O inverno deste ano está mais quente que o normal devido a um El Niño. A água do oceano Pacífico esteve 0,8ºC mais quente que o normal nos últimos sete meses, aponta o relatório do Noaa, o departamento de meteorologia dos Estados Unidos. Atualmente, o fenômeno — de causa ainda desconhecida — está perdendo força.

“As águas mais profundas já não estão assim mais quentes, estão dentro de uma média. Alguns lugares mais frios e outros mais quentes, por isso falamos de um período de neutralidade”, explica o meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) Franco Vieira.

Neutralidade significa que temperatura e quantidade de chuvas estão dentro da média histórica. “A previsão para os meses de agosto, setembro e outubro indicam que boa parte do Sudeste está em transição de tempo seco para o chuvoso. No Sul, chuva acima da média, mas não significa chuva torrencial. Isso é normal”, explica o meteorologista do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) Gilvan Sampaio.

Sobre o La Niña (resfriamento da água do Pacífico), que geralmente ocorre depois de um El Niño, Sampaio diz que os modelos meteorológicos indicam menos de 10% de chance de se configurar até o fim deste ano.

Uma coisa é fato: o próximo verão será diferente do último. Para o Sul, alerta o meteorologista da Somar Paulo Etchichury, o principal risco é de estiagem. Já no Sudeste e Centro-Oeste, a condição é favorável para o plantio, com chuva insuficiente para atrapalhar demais os trabalhos, mas não para a colheita, que pode ter muita chuva. O esfriamento traz uma boa notícia para o Matopiba: diminui o risco de estiagem.

Notícias Relacionadas