Aeroporto Internacional de Salvador tem embarque unificado

Em processo de reforma, os passageiros de voos domésticos e internacionais do Aeroporto de Salvador compartilham, agora, da mesma área para embarque. A novidade começou nesta segunda-feira (26), com passageiros de um voo da TAP.

A integração dos públicos acontece simultaneamente à entrega da ponte 13, a primeira internacional do novo píer do aeroporto – que, segundo a Vinci, aumenta a capacidade de movimentação de 10 para 15 milhões de passageiros ao ano.

Outras seis pontes serão instaladas no equipamento, sendo três domésticas e três internacionais e, até 31 de outubro, quando 100% das obras de infraestrutura exigidas pela Agência Nacional de Aviação (Anac) estiverem concluídas, Salvador contará com 17 pontes no total, sendo quatro internacionais e 13 domésticas.

Com a unificação, os passageiros internacionais, que antes embarcavam da ponte 11 [fechada para requalificação], agora passam a embarcar do segundo pavimento – para onde, desde abril, foram realocados os voos domésticos.

À frente da administração do terminal aéreo da capital desde janeiro de 2018, a concessionária justifica a mudança. O porta-voz da Vinci Airports, Júlio Ribas, explica que “a baixa demanda do aeroporto de Salvador acompanha a da maioria dos aeroportos do Brasil” quando o assunto são destinos internacionais. O fato criava uma área de embarque e desembarque internacional independente, mas também ociosa. A distinção dos espaços físicos dos domésticos implica em mais opções de lazer durante o tempo de espera e lojas com mais chances de retorno financeiro para os comerciantes, reforça Ribas.

A concessionária informou que uma equipe estará nas áreas comuns do terminal para orientar os passageiros, especialmente os dos voos internacionais. A concessionária orienta, ainda, que as pessoas que forem viajar para outros países, ao menos nos próximos 20 dias, cheguem ao local com antecedência para “se familiarizar com o fluxo, dinâmicas de funcionamento e embarque”.

*Correio 24h