Presidente da Câmara de Jaguarari é condenado por improbidade

Foto: Jacuípe News/Reprodução Internet

https://metodosupera.com.br/aula-gratis/

O presidente da Câmara Municipal de Jaguarari, vereador Márcio José Gomes de Araújo, acaba de ser condenado a quatro anos de prisão, por diversas contratações irregulares de funcionários fantasmas e, notadamente por “implantação” de rede de telefonia também, “fantasma”, além de outras acusações. Seu nome, inclusive, já esteve envolvido como causador de fraude de vendas de frutas e legumes, com familiares, para a prefeitura do município, administrada pelo prefeito Everton Rocha (PSDB).

A pena foi convertida em prestação de serviços comunitários, por ser réu primário. O vereador foi denunciado pelo Ministério Público do Estado da Bahia e sentenciado pela juíza Maria Luiz Nogueira, do TJ-Bahia. Conforme a denúncia do MP, no decorrer dos meses de fevereiro a outubro de 2017, na sede da Câmara de Vereadores, em Jaguarari, com atos executórios também no Município de Riachão do Jacuípe, Márcio Araújo desviou recursos da Câmara de Vereadores, em proveito próprio e alheio. Segundo consta do inquérito civil público, em janeiro de 2017, ao assumir o mandato de vereador e ser eleito Presidente da Câmara de Vereadores, passou a contratar plano empresas de telefonia celular com diversas linhas, que eram ativadas a partir do momento em que ele informava números de aparelhos já habilitados. Pagando para parceiros do golpe, como nova compra., acaba de ser condenado a quatro anos de prisão, por diversas contratações irregulares, notadamente para a “implantação” de rede de telefonia e outras acusações. Seu nome, inclusive, já esteve envol,vido como causador de fraude de vendas de frutas e legumes, com familiares, para a prefeitura do município, administrada pelo prefeito Everton Rocha (PSDB).

A pena foi convertida em prestação de serviços comunitários, por ser réu primário. O vereador foi denunciado pelo Ministério Público do Estado da Bahia e sentenciado pela juíza Maria Luiz Nogueira, do TJ-Bahia. Conforme a denúncia do MP, no decorrer dos meses de fevereiro a outubro de 2017, na sede da Câmara de Vereadores, em Jaguarari, com atos executórios também no Município de Riachão do Jacuípe, Márcio Araújo desviou recursos da Câmara de Vereadores, em proveito próprio e alheio. Segundo consta do inquérito civil público, em janeiro de 2017, ao assumir o mandato de vereador e ser eleito Presidente da Câmara de Vereadores, passou a contratar plano empresas de telefonia celular com diversas linhas, que eram ativadas a partir do momento em que ele informava números de aparelhos já habilitados. Pagando para parceiros do golpe, como nova compra.

Consta ainda outros processos contra o presidente da Câmara que está sem seu segundoi mandato.

Quer mais notícias, clique aqui: www.maisoeste.com.br