Matopiba se prepara para semear safra histórica

Foto//Divulgação

Com as previsões indicando chuvas regulares para este mês de outubro, os sojicultores do Matopiba se preparam para semear uma safra histórica. Ao que tudo indica, no final do mês as precipitações deverão se estabilizar, o que trará segurança em iniciar a formação das novas lavouras de soja e milho.

Com a forte demanda chinesa, aliada ao câmbio e outros fatores, os preços da soja estão em patamares que vêm estimulando o setor. Como prova, boa parte da safra 2021 já foi comercializada e a safra seguinte já está em negociação, cuja soma de fatores está contribuindo para a elevação das áreas de soja na região.

Este quadro otimista resultará em lavouras com maiores investimentos, sejam em sementes de alto padrão, mais fertilizantes e melhores cuidados na condução dos cultivos. Para Idone Grolli, presidente da APROSEM – Associação dos Produtores de Sementes dos Estados do Matopiba, estes elementos, associados a boa previsão pluviométrica, poderão resultar na melhor safra da história.

Diante da proximidade da bandeirada de largada da corrida, as máquinas e insumos estão a postos para não perder o tempo certo. As janelas de semeaduras têm ficado cada vez mais curtas, o que exige planejamento na aquisição dos insumos e revisões antecipadas dos equipamentos. Na região do Matopiba, pelo nível de profissionalização dos sojicultores, a grande maioria já concluiu as etapas citadas, estando aptos a colocarem as sementes no solo, destaca o diretor executivo da Aprosem, Ivanir Maia.

Porém, os altos níveis de calor que assolam o Brasil Central podem resultar em problemas com as sementes, se não forem tomados os devidos cuidados. Seja no transporte até a propriedade ou no armazenamento até o dia do plantio, se ocorrer grandes oscilações na temperatura e na umidade, nesse período, a implantação da futura lavoura poderá estar comprometida.

A preocupação também vale para quem está com limitações operacionais e iniciará a semeadura no pó. A exposição a baixa umidade e alta temperatura, mesmo que por poucos dias, resultará em morte de muitas sementes antes de sua germinação.

Saber o que está na mão é outra grande estratégia para quem não quer errar na implantação da lavoura, reforça Maia. O simples teste de germinação em canteiro ajuda na resposta. Todavia é importante que o teste seja feito na realidade do campo onde será semeada, com os cuidados de não regar no mesmo dia do plantio e proteger de animais, bem como fazer o teste para cada lote disponível.

Para que a safra de 2021 seja um sucesso, é preciso iniciar com semeaduras seguras, o que envolve fazer uso de sementes confiáveis quanto a qualidade e procedência, tomando alguns cuidados na etapa de colocação destas no solo. O momento certo do plantio, com velocidade e umidade ideais, aliado a um monitoramento diário da operação, dará a certeza que a largada foi bem feita.

Fonte//Ascom Aprosem

Quer mais notícias, clique aqui: www.maisoeste.com.br