Ensino superior pode ser o primeiro grupo a retornar às aulas presenciais, diz Rui

Foto//GOVBA

Nesta segunda-feira (26), o governador Rui Costa reafirmou a intenção de fazer uma volta às aulas escalonada por grupos. Com isso, o primeiro grupo a voltar a ter aulas presenciais seria o de universidade e faculdades. Ainda não há uma data definida para essa liberação, contudo.

“Nós estamos avaliando ainda, essa semana a gente deve tomar alguma posição. Devemos fazer um processo de forma escalonada. Inicialmente devemos retornar o ensino superior, universidades, e deixar rodar uma, duas semanas, para ver o comportamento, e depois ir gradualmente liberando. Tô dizendo isso mas não quer dizer que vai voltar necessariamente. Cada universidade define seu cronograma, vai ter sua autonomia para definir calendário. Não é determinação para retomar. Quer dizer que do ponto de vista sanitário e de saúde estaria liberado para retornar”, disse Rui nesta manhã, durante visita a obras do metrô. “O segundo grupo será o de nível médio”, completou ele.

Ele disse que a ideia é ser cauteloso, especialmente em um momento de aumento de aglomerações, como festas clandestinas, paredões, festas noturnas, e aglomeração fruto de caminhadas eleitorais. “Não queremos confundir um eventual pico de contaminação com um retorno às aulas”, afirmou ele.

Segundo o governador, não há indicativo de segunda onda da pandemia. “Estávamos em uma queda acentuada nas taxas de contaminação e parou de cair. As aglomerações estão provocando algum grau de contaminação. Não o suficiente, graças a Deus, pra provocar uma subida nos números, mas foi o suficiente para conter a queda”, avaliou. “Não temos nenhum sinal de uma segunda onda no estado”, disse, afirmando que há perguntas sem resposta, como se a imunização de rebanho já chegou.

Rui pediu que a população continue seguindo as orientações sanitárias, como uso da máscara, que diz ter percebido ter caído. Ele também comentou a suspensão do home office para servidores públicos de mais de 60 anos. “Estamos em fases lentas, graduais e sucessivas de liberação. Inicialmente estávamos com todos restritos, quem tinha mais de 60 anos, e agora tiramos essa restrição e só vai ficar em casa aqueles que tiverem alguma morbidade, alguma doença correlata. Aqueles que não têm, devem voltar, adotando as medidas de proteção”, disse.

Quer mais notícias, clique aqui: www.maisoeste.com.br