Rui Costa pode desistir do Senado para garantir aliança do PT na Bahia

Foto//Jonne Roriz/VEJA

Para manter a aliança que tem com o PP e o PSD na Bahia, o governador Rui Costa (PT), um dos mais populares do país, com gestão aprovada por 66,5% dos baianos, segundo o Paraná Pesquisas, já avalia ficar no cargo até o fim do seu mandato, em dezembro de 2022, e deixar de lado uma candidatura ao Senado, para a qual é favorito. Para disputar a próxima eleição, ele teria que deixar o cargo até 2 de abril.

O movimento garantiria espaço para o senador Otto Alencar (PSD), aliado do petismo na Bahia, tentar a reeleição — haverá apenas uma vaga em disputa em 2022. Outra consequência seria evitar a posse do vice João Leão, que é do PP, um dos partidos do Centrão, e a sua eventual entrada na disputa ao governo — quem vai disputar a eleição para o mesmo cargo que ocupa não precisa renunciar.

Há na Bahia um risco para o PT continuar no poder, que ocupa desde 2007, quando Jaques Wagner derrotou Paulo Souto (PFL) e enterrou o carlismo. Agora é o mesmo Wagner que tenta retornar ao Palácio da Ondina. Mas seu adversário, o ex-prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) tem mais de 30 pontos de vantagem segundo o Paraná Pesquisas — quando tem seu nome associado ao do ex-presidente Lula, o petista empata.

Fonte//Revista Veja

Quer mais notícias, clique aqui: www.maisoeste.com.br