Caso de Polícia: Criança é obrigada a beijar boca de colega em escola de Barreiras

Foto//Dircom

Um beijo na boca entre crianças virou um caso de polícia em Barreiras. A mãe de uma criança denunciou na Polícia Civil um caso de constrangimento após sua filha contar que foi obrigada a beijar a boca de um colega na Escola Municipal Mirandolina Ribeiro Macedo, em Barreiras.

A mãe da menina contou para a polícia que os alunos foram submetidos a uma espécie de jogo com um dado, que determinava as atitudes que as crianças deveriam tomar em sala de aula a partir do que objeto determinasse.

Ela revelou que durante o jogo a filha teve que morder os lábios do coleguinha e, em outro momento, ela teve que beijar a boca do coleguinha. Na sala onde o episódio aconteceu estava, segundo a denunciante, além dos alunos, uma professora e uma cuidadora, que fica responsável por crianças portadoras de necessidades especiais.

Um inquérito foi instaurado e as pessoas envolvidas na situação serão ouvidas pelo delegado Francisco Carlos de Sá. Ele conta que vai ser se basear no Estatuto da Criança e Adolescente (ECA), que determina punições quando crianças são submetidas a constrangimento em público, com um agravante das carícias consideradas como inadequadas.

Em nota, a Secretaria de Educação do Município informou que assim que tomou conhecimento da situação demitiu a cuidadora. A professora vai passar por um processo administrativo. A secretaria também informou que vai cooperar com a polícia para que o caso seja esclarecido e que as medidas cabíveis sejam tomadas.

A família decidiu que vai pedir a transferência da filha para outra escola.

Quer mais notícias, clique aqui: www.maisoeste.com.br