“Mamãe não quero ser vereador”: Por Mário Machado Júnior

 

FALANDO SÉRIO 106

Falando sério, ontem prestei homenagem aos candidatos a prefeito, inclusive, por extensão procurando demove-los da ideia de sê-los, acho que não deu resultado.

Hoje minha homenagem e tentativa são dirigidas aos candidatos a vereador quem vem a ser aquele sujeito responsável pela confecção de leis do município. Será?

“Todos gostam de dividir suas confidências com pessoas verdadeiras porque elas não têm o desejo de ouvir aqui e contar acolá. Elas são fiéis ao seu compromisso e à sua honra pessoal. Elas arquivam todos os segredos no cofre da sua coerência como se fosse um assunto pessoal. Pessoas assim são muito amadas por todos.” António Sequeira

A frase acima bem representa isso, nós dividimos nossas confidencias com o candidato a vereador na esperança de que ele não os divida com ninguém mas que pelo menos faça alguma coisa. Eles arquivam em seus cofres pessoais estas confidencias para usa-las de 4 em 4 anos e muitas vezes contra nós mesmos.

Ser vereador em um país como o Brasil é um eterno exercício de esperança, seja do candidato, seja do eleitor e, na maioria das vezes do eleitor, e esta esperança é tentada ser renovada a cada eleição.

Mas, o que faz o vereador? Enquanto agente político, ele faz parte do poder legislativo, sendo eleito por meio de eleições diretas e, dessa forma, escolhido pela população para ser seu representante. Esta noção de representante da sociedade está entre as noções mais caras dentre suas funções, pois as demandas sociais, os interesses da coletividade e dos grupos devem ser objeto de análise dos vereadores e de seus assessores na elaboração de projetos de leis, os quais devem ser submetidos ao voto da assembleia (câmara municipal). Dessa forma, são responsáveis pela elaboração, discussão e votação de leis para a municipalidade, propondo-se benfeitorias, obras e serviços para o bem-estar da vida da população em geral. Os vereadores, dentre outras funções, também são responsáveis pela fiscalização das ações tomadas pelo poder executivo, isto é, pelo prefeito, cabendo-lhes a responsabilidade de acompanhar a administração municipal, principalmente no tocante ao cumprimento da lei e da boa aplicação e gestão do erário, ou seja, do dinheiro público.” RIBEIRO, Paulo Silvino. “Qual é a função do vereador?”; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/politica/funcoes-vereador.htm>. Acesso em 08 de julho de 2016.

A palavra Vereador vem, segundo Constâncio em seu Dicionário, do verbo verear, contração de verificar, i.e., vigiar sobre a boa polícia da terra, reger e cuidar do bem público. Novamente, SERÁ?

E VIVA O CANDIDATO/ELEITOR BRASILEIRO!

cartao-mario