Falando Sério: Setembrino do dia sete por Mário Machado

falando-serio-143

Setembrino nascera no dia 7 de setembro e em homenagem ao dia seu pai, pouco instruído, mas de coração bom, lhe dera este nome achando estar comemorando a data. Nunca reclamou do seu nome, pelo contrario, achava ate imponente ainda mais quando começava o mês e olha que já se iam pelos menos mais de quarenta anos. A única coisa que o incomodava era a data do seu natalício. Chegou a pedir para um amigo advogado para ver se podia fazer uma ação para mudar a data, mas o causídico lhe garantira ser impossível. E assim seguia nosso herói, no dia sete de setembro, Setembrino comemorava o seu aniversario. Depois que se acostumou ao nome passou a iniciar as comemorações indo assistir a parada do dia da independência. Olhava com alegria, quase infantil, dizendo para si mesmo que aquela parada era para ele. Todos os anos era isso. Hoje Setembrino acordou diferente. Não estava com disposição para comemorar o dia da independência e muito menos o seu aniversario. Não queria ir na parada, não queria festa e muito menos estava afim de receber os parabéns de quem quer que seja. Ostevino, seu compadre e vizinho percebeu a cara amoada de seu amigo e perguntou a ele.

– Que cara é essa Setembrino? Hoje é seu aniversario, não vai comemorar?

– Comemorar o que Ostevino? Não tem o que comemorar.

– Como não amigo. Seu aniversario, a parada do dia da independência, aquele churrasco de sempre. Tem muito o que comemorar.

– Ostevino você sabe que eu não votei nesse povo que está ai, muito menos no que ficou. Você viu que o Severino está desempregado desde o fim do ano passado, já me pediu dinheiro emprestado, tá com as contas atrasadas. Não tem o que comemorar não. Tem o que chorar.

– Homem de Deus para com isso. Eu votei neles e acredito no moço que ficou.

– Então você é dos poucos. Eu to infeliz, se quer saber na verdade to é triste mesmo. Outra coisa você viu o que fizeram semana passada no Senado? Aquilo é atitude de homem ou de mulher? Não tem mesmo o que comemorar.

– Você ta chato demais. Que se preocupar com estas coisas moço? Vai ser feliz.

– Como ser feliz assim? Meu país tá doente, tá triste, tá feio e ainda acham que tem o que comemorar? Sabe o que mais, vou voltar para cama, me chama amanha.

FELIZ ANIVERSÁRIO SETEMBRINO, SE FOR POSSIVEL.

 

cartao-mario