Acadêmicos de Biomedicina mobilizam população para a importância da doação de medula óssea em Barreiras

 

O curso de Biomedicina da Faculdade São Francisco de Barreiras (FASB) entrou na campanha pela doação de medula óssea. Visitantes e membros da comunidade acadêmica compareceram ao Laboratório Escola, na sede da instituição, nesta quarta-feira (21), para se cadastrar e doar entre 5 e 10 ml de sangue. Com o material coletado será realizado o exame de histocompatibilidade (HLA), um teste de laboratório que identifica a compatibilidade entre doador e receptor por meio de características genéticas.A medula óssea é um tecido composto por células capazes de originar outras células, sendo encontrada no interior dos ossos longos e nas cavidades esponjosas de ossos.

“A doação de medula óssea é um gesto muito nobre. No curso, aprendemos sobre o que é possível fazer com a medula, e sabemos que ela ajuda a salvar vidas. Fico feliz em poder contribuir com a ação”, disse Renata da Cruz Mota, acadêmica do 5º semestre de Biomedicina da FASB. O banco de dados do Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome) – sistema informatizado que faz o cruzamento entre informações genéticas de doadores e pacientes – atingiu, em fevereiro deste ano, o total de 4.252.269 doadores cadastrados, tornando-se o terceiro maior do mundo. O número ainda é pequeno em relação à necessidade. A chance de encontrar medula compatível é, em média, de uma em 100 mil.

Para a coordenadora do curso de Biomedicina, Dayanne Menezes, foi bastante importante a participação do público. “Convidamos funcionários, professores, a comunidade acadêmica e os barreirenses para contribuir com essa campanha. E tivemos uma grande demonstração de solidariedade”, comemorou.  O cadastro e a doação podem ser feitos por qualquer pessoa entre 18 e 55 anos, com boa saúde. Os resultados dos testes são armazenados, junto com as informações pessoais. Caso encontrem compatibilidade, o doador é chamado para exames complementares e para realizar a doação – um procedimento que dura cerca de 90 minutos, feito em centro cirúrgico, em internação de 24 horas. A medula óssea do doador leva apenas 15 dias para se recompor.