Servidor serve, não se serve; por Mário Machado

Hoje, dia 28 de outubro, dia do Servidor Público e, como faço parte desta categoria achei por bem discorrer sobre a importância do Servidor.

O título da coluna é autoexplicativo, afinal o servidor vem para servir. A quem? Ao público, que através de seus impostos garante o pagamento dos salários dos servidores, pois como bem disse Margareth Thatcher Ex-Primeira-Ministra da Inglaterra: “Não existe dinheiro público. Existe apenas dinheiro do pagador de impostos. ”  Este dinheiro é sagrado e deve ser amplamente respeitado.

A tônica da minha coluna hoje é no sentido de que os servidores devem servir com maestria, com respeito, com honra, com orgulho, com ética. Não estamos nos cargos, que ocupamos, para nos locupletarmos em jogos de corrupção.

Servir é uma das mais nobres capacidades do ser humano, desde que o faça sempre de forma a atender à necessidade daqueles que buscam no serviço público alento para seus dramas, suas necessidades, suas carências, a população.

Vejo diariamente o quanto e carente e necessitado o povo brasileiro, em todos os seus aspectos, de um documento a uma incursão jurídica para buscar o que é seu ou dos seus de direito, isso sem contar nas necessidades mais comezinhas como alimentação ou eventualmente a liberdade dos seus.

Ser servidor público tem sido uma honra e um prazer para mim, afinal eu sirvo para alguma coisa e nunca jamais de alguma coisa.

Durante muito tempo e ainda hoje o servidor tem sido visto como um folgado, como um aproveitador, como um malandro, em alguns casos até como um marginal. Entendam bem, não vai ser por causa de uma laranja podre que vamos julgar o cesto inteiro.

Servir nem sempre é fácil, muitas vezes esbarramos em entraves que impedem o bom exercício do servir, mas isto não é regra, é exceção.

Acredito muito que o serviço público tem que ser baseado na máxima cristã: “Ama ao teu próximo como a ti mesmo.”

O Servidor se assemelha ao Bom Samaritano, que se desprende de qualquer coisa para auxiliar aquele que carece e que precisa.

Vejo sempre com esperança o serviço público ampliando suas atuações, seus propósitos, suas metas, seus objetivos, visando o bem maior, qual seja, servir a quem precisa e nunca, jamais, a si mesmo.

Muitos almejam o serviço público como forma de estabilidade, mas esta depende principalmente do próprio servidor ao exercer o seu mister como deve.

O verdadeiro Servidor serve, não se serve.

Parabéns a todos os servidores públicos federais, estaduais e municipais.