Pandemia faz crescer a procura por transporte de passageiro feito por moto

Foto//Reprodução

Ônibus lotados, passageiros com a máscara pendurada no queixo, nada de distanciamento social: quem usa o transporte público nas grandes capitais conhece bem os riscos de contágio pelo novo coronavírus. Para tentar minimizar as chances de contaminação, a população está cada vez mais optando pelo transporte individual de passageiros, que, além de agilidade, oferece mais segurança.

A Picap, startup responsável pelo aplicativo de motos voltado ao transporte de passageiros, surgiu com o crescimento dessa procura pelo transporte de passageiros sobre moto.

Nos últimos meses de 2020, o serviço teve um aumento de 80%, e a expectativa é que, até abril, dê um salto de até 50% a mais na demanda. A capital pernambucana deve ter um desempenho ainda mais elevado do que as demais capitais do país, acredita Travassos: “Temos sido bastante demandados. A circulação das pessoas nos ônibus tornou-se um risco, devido ao crescimento da contaminação da Covid-19. A moto, além de ser mais segura, torna o traslado mais rápido e barato para o usuário”, disse o CEO da Picap, Diogo Travassos.

A startup atua em 11 cidades no Brasil, incluindo Rio de Janeiro e São Paulo. O objetivo da empresa é ampliar sua atuação no Recife, onde sua frota de motos já se iguala à quantidade de táxis. A empresa conta com seis mil motociclistas cadastrados, praticamente a mesma quantidade de motoristas de táxi: de acordo com o último balanço da Prefeitura da capital, eles são 6.125. “Mesmo antes da pandemia, Recife concentrava o nosso melhor desempenho dentre todas as cidades onde atuamos. Estamos cadastrando novos motoristas para dar conta dessa demanda cada vez maior”, diz Diogo.

Fonte: Clarimundo Flôres

Quer mais notícias, clique aqui: www.maisoeste.com.br