Bolsonaro mantém indicação de Mendonça ao STF

Foto//Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

De acordo com a coluna de Carolina Brígido, no Senado corre o boato que, diante da suposta dificuldade de aprovação de André Mendonça na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), o Palácio do Planalto estaria aventando a substituição do indicado para uma vaga no STF (Supremo Tribunal Federal). Falam-se no procurador-geral da República, Augusto Aras, e no presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), Humberto Martins, como alternativas. Tudo balão de ensaio.

A interlocutores, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) garantiu que não pretende escolher outro nome para o STF. Vai com Mendonça até o fim. O mandatário acredita na aprovação, mesmo que sua relação com o Congresso Nacional e o Supremo esteja esgaçada. Bolsonaro fez chegar aos ouvidos de Mendonça que não haverá substituição.

Entre senadores, especialmente os da oposição, circulou a tese de que o clima ficou insustentável depois que Bolsonaro apresentou ao Senado pedido de impeachment contra Alexandre de Moraes. De fato, as relações ficaram abaladas. Num primeiro momento, a avaliação era de que não haveria clima para a CCJ sabatinar um candidato de Bolsonaro ao Supremo. Na prática, isso não aconteceu.

Ciente de que não seria trocado, Mendonça não deixou de conversar com senadores nos últimos dias. Dos 81, já falou com mais de 70. A maioria dos parlamentares – de oposição ou governistas – segue acreditando na aprovação de Mendonça. Ainda mais depois que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), arquivou o pedido de impeachment de Moraes. O pedido foi feito na sexta-feira (20) e na quarta-feira (25) já estava engavetado.

Quer mais notícias, clique aqui: www.maisoeste.com.br