Oeste da Bahia poderá receber fábrica de etanol

Com o objetivo de tratar sobre a construção de uma fábrica de etanol de milho no Oeste da Bahia, o governador Jerônimo Rodrigues se reuniu com executivos da ALZ Grãos, empresa de originação de grãos, comércio de insumos agrícolas e operação portuária, na tarde desta sexta-feira (8), em Brasília (DF).

Durante a reunião, o CEO da empresa, Maurício Hardman, anunciou a intenção de investir na construção da indústria de biocombustíveis no Oeste do estado. A escolha do local se baseia nas condições produtivas já existentes na região, por possuir infraestrutura para fornecer os grãos necessários à produção do biocombustível à base de milho.

Destacam-se na região Oeste, as cidades de Barreiras e Luis Eduardo Magalhães, mas até o momento não há uma definição sobre o município que sediaria a fábrica de etanol. De acordo com o governo do estado, o projeto prevê a construção de uma planta de processamento de grãos, visando produzir etanol à base de milho e outros cereais, como sorgo.

A indústria terá capacidade de esmagamento de um milhão de toneladas de milho por ano. Os estudos sobre os investimentos já estão avançados. Também participaram da reunião Jeandro Ribeiro, presidente da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional da Bahia (CAR); e Blairo Maggi, acionista da AMAGGI, uma das empresas que compõem a ALZ Grãos, juntamente com a Louis Dreyfus Company e Zen-Noh.

Indústrias no Matopiba

Também na região do Matopiba, em Balsas, no sul do Maranhão, já foram iniciadas obras de uma fábrica de etanol do Grupo Inpasa. Em entrevista ao Canal Rural Bahia, o presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Maranhão (Faema), Raimundo Coelho, disse que a chegada da fábrica de etanol, vai favorecer a produção grãos, principalmente do milho, na região. “Essa empresa, ela vai esmagar cerca de 50 mil sacos de milho por dia vai precisar de 1 milhão de toneladas”, disse.

Fonte//Canal Rural